quarta-feira, 12 de maio de 2010















Para assinalar o centenário do nascimento de Eduardo Pereira Pinto, foram emitidos 50 selos de € 0,32, para correio normal até 20 gr. e 25 selos de € 0,60, para correio normal até 100 gr..

Os 50 selos de € 0,32, 25 vão ser distribuídos pelos netos e pelos amigos mais próximos.

Assim, agradeço que os netos interessados me enviem o nome completo e a respectiva morada para joseruicaldas@gmail.com.



quarta-feira, 21 de abril de 2010

sábado, 3 de abril de 2010


Parabéns velhote, 100 Anos










Infelizmente já são poucos os que se lembram de ti, a memória daqueles que foram servidos é muito curta..........


Para mim sempre foste, és e sempre serás o meu HERÓI.

jruicaldaspinto


sábado, 27 de março de 2010



Alguns comentários “roubados” ao Blog Carioca da Vila – http://carioca-carioca.blogspot.com, relacionados com Eduardo Pereira Pinto.


___________________________________________________


Ouvi falar deste homem mas destes feitos nunca. Uma surpresa.

Anónimo

___________________________________________________

Um Homem com um coração do tamanho dele.

Anónimo

___________________________________________________

Estamos a falar de um homem que salvou vidas humanas com o sacrifício da sua própria vida. Vila do Conde tem assim tantos heróis. É pena que não haja nada que perpetue esta figura.

Anónimo

___________________________________________________

Neste blog nota-se bem, pelos comentários das pessoas, que têm ainda um grande carinho pela pessoa que o meu avô foi.

Bruno Pinto

___________________________________________________

Não sei se este ilustre vilacondense era ou não do PS local. Decerto que não pois, se o fosse, já teria um busto ou uma rua com o seu nome. Pobre do povo que não honra os seus heróis.

Anónimo

___________________________________________________

Realmente é triste, uma pessoa que tanto deu a Vila do Conde e Caxinas, só afilhados nas caxinas ele tinha mais de 500, era nobre, pelo menos nas caxinas, uma rua com o seu nome.
Atanasio

___________________________________________________

UM SENHOR VILACONDENSE !
a)

___________________________________________________

É um pouco frustrante Vila do Conde não seguir o exemplo da Póvoa.

Bruno Pinto

___________________________________________________

O Eduardo Pinto, além de ser um Homem bom, inteligente e valente,
também sabia ser um bom "vivant"...
Vilacondense de excelência, desinteressadamente amigo do seu amigo, qualidade que hoje, cada vez mais, está em vias de extinção.
Ao tempo, já o dizia, quem sabia.
Cereja

___________________________________________________

Agora, sim!
Na nossa frente, e de frente,
Um Homem.
Daqueles que, cada vez mais, estão
em vias de extinção...
a) Cereja

___________________________________________________

O valor de uma terra tem a ver com a grandeza das suas gentes e quando as suas gentes sabem respeitar e prestar tributo áqueles que foram grandes a terra aparece e passa a ser respeitada.

Jorge Vieira

___________________________________________________

Sempre que leio aqui referências ao sr. Eduardo Pinto, lembro-me de uma história que me contaram que se terá passado pouco depois do vinte e cinco de abril por altura de alguma eleição. era domingo por volta das 10h da manhã. uma viatura com um megafone em alto chinfrim pára em frente da casa do sr. Eduardo Pinto. quando este pediu para saírem dali ou calarem a propaganda e não lhe levaram em consideração o sr. Eduardo Pinto puxa da caçadeira e aponta ao megafone. foi remédio santo.
mas não sei se é verdade ou não.

Afonso Henriques

___________________________________________________

Esta história é verdadeira, pois sempre a ouvi contar.
Tiago

___________________________________________________

Os comentários roçam a verdade, e assim são inexactos.
Quando se referem a "galo", mais uma vez quase acertavam, pois de facto, o Sr. Eduardo Pinto foi "galardoado" com o título de HERÓI.
(Eu compreendo, pois já não estamos habituados a estas "coisas" )

José Cunha

___________________________________________________

Sempre que menciona nas suas postagens factos relacionados com a familia do Sr.Eduardo Pinto,quer pai quer filho os comentarios disparam,nota-se um enorme carinho por parte dos vilacondense para com esta familia,soube que a um outro que foi presidente do fluvial,sabe algo.
Parabens pelo seu trabalho.

Anónimo

___________________________________________________

Só hoje tive conhecimento , atraves de um familiar do Sr Eduardo Pinto e continuo sem perceber porque é que esta figura...não tem uma Rua ou Praça em seu nome.
Nem era preciso lembrar!!

Anónimo

___________________________________________________

Estas Historias sao simplesmente encantadoras, presumo que verdadeiras, pois ja por varias vezes nos cafes mais antigos de vila do conde ouvi mirabulantes historias do Senhor Eduardo Pinto, nao existem registos fotograficos? talvez se apelarem ha familia ou entao na Camara de vila do conde
Mario

___________________________________________________

Conheco uma historia do sr. Eduardo Pinto,que e a seguinte.Ha muintos anos passados houve um jogo de futbol entre o Fluvial e o Povoense no campo de Azurara,face ao rio enfrente ao hoje posto nautico do Fluvial o sr Eduardo estava na assistencia,comeca jogo e passado pouco tempo o povoense marca, um assistente poveiro tendo consigo uma armacao com pombos coreios pega num e lancandoo no ar diz la vai um, passado pouco tempo outro golo e la vai outro pombo e la vai outro disse ele. Hora bem pelo que eu soube a cena ja se repetia por sete vezes,entao o sr.Eduardo aproximou-se do dito cujo e quando ele se preparava para mandar outro o sr Eduardo mandalhe uma galheta bem assente pontapeia a gaiola pombos pelos ares armasse pancadaria e la foi o pobre homem para casa todo esmorrado sem gaiola e quanto aos restantes pombos os que estavam em condicoes de voar la regressaram a casa outros ficaram por la. mas ha mais historias do sr Eduardo que eu conheco houvidas na barbearia S.joao do meu querido ex patrao o sr MANUEL DE MACEDO AGUSTO

___________________________________________________

Mais uma do Sr Eduardo.Certo dia estava um pequeno grupo de Vilacondenses junto ao Mar a Vista na conversa e na galhofa entrar la talvez nao desse porque o dinheiro nao dava para tais iguarias. La dentro encontravan-se uns queques da altura uns vilacondenses outros de fora meninos bem mas todos amigos,e para o que lhes deu? afastar dessa area do Mar a vista os ditos vilacondenses as coisa azedaram ,o coisa ruim estava por perto e meteu-se em apoio dos meninos e entao e que aparece o sr eduardo em cena.passava la por acaso tma conta do que esta a acontecer e zumba comeca a distribuir lenhedo para cima dos meninos foi um ver se te avias ,ne4m coisa ruim lhes valeu rabinho entre as pernas e la foram corridos dali

José Aguiar

___________________________________________________


sábado, 20 de março de 2010

O automóvel que Eduardo Pinto tinha, antes do Toyota Corolla, era....

Ford Cortina GT 1.3























O original

sábado, 13 de março de 2010

2 de Outubro de 1933 – Nesta fotografia está um amigo de Eduardo Pinto, Sr. Francisco Vidal, mas não faço ideia qual deles é!!




sábado, 6 de março de 2010

domingo, 21 de fevereiro de 2010

sábado, 6 de fevereiro de 2010

“Os melhores comentários até ao momento”

.
Pelo pouco que li... por tudo que não conheci... (mas gostava de ter conhecido).

Sinto que o orgulho que sentes pelo teu Pai, será o mesmo que um dia irei sentir por ti.

"És o meu Herói".
.
Rui Calafate


___________________________________________________

Herdei de meu pai, João Pedro Fernandes (o Baratinha), uma pequena empresa de recovagem entre Porto, Vila do Conde e Póvoa de Varzim, na qual trabalhei até Setembro de 1976, o que me obrigava a ter conhecimentos na vizinha vila.
Diziam os Vilacondenses que ali “reinavam” três “reisinhos”, Bento Amorim (presidente da Câmara, José Teixeira da Silva, secretário da mesma e Eduardo Pereira Pinto, chefe dos Serviços Municipalizados).
Contactei com Eduardo Pinto, casualmente, 3 ou 4 vezes. Encontrei-o, muitas mais vezes, na Póvoa onde ele tinha os chamados “Amigos do Peito”, desenhados num quadro que existe na casa do que viria a ser meu genro, José Rui da Silva Caldas Pinto, e que era seu filho.
Dizia-se que era um “bon vivant”, pois que gostava dumas “tainadas” com os tais amigos.
“Outros amigos”, por vezes, abusando do seu bom coração, cravavam-no. O filho herdou o mesmo bom coração e as mesmas consequências. A sua solidariedade com os mais necessitados é bem conhecida de todos os que com ele conviveram, indo ao ponto de, com risco da própria vida, ter salvo inúmeras pessoas.
Foi um atleta de mão cheia o que se vê pelas inúmeras medalhas que conquistou.


Humberto Fernandes “O Baratinha”


___________________________________________________

Lembro-me perfeitamente do Sr. Eduardo Pinto na minha adolescência.
Era um Homem muito charmoso e com muita personalidade.
Nunca pensei que um dia iria casar com o seu filho mais novo.
Na realidade não o tive como sogro, pois, quando casei, já tinha falecido.
Tive pena de não o ter conhecido mais profundamente, pois, da maneira que o meu marido o idolatra, deveria ser uma pessoa excepcional.
Ainda hoje chora copiosamente a sua morte.
É impressionante o Amor que ele sente pelo pai apesar de já ter falecido há tantos anos.
Sempre ouvi falar que este senhor fez muito por Vila do Conde e admira-me que ninguém, até hoje, lhe tenha feito uma homenagem.
Outros, por menos, são homenageados.
Enfim ….....

Beijinhos,
Manuela Pontes


___________________________________________________

Olá, obrigado por partilhares comigo. Já adicionei aos meus favorito. Está muito bonito o blog. Quem merece, nunca é esquecido e continua connosco na caminhada. Eu também tenho muitas saudades do meu Pai e imagino-me muitas vezes sentada no seu colo. Enfim… um beijo muito grande.


Anónimo


___________________________________________________

Obrigado Zé Rui, pelo facto de por este meio ter revivido grande parte do meu passado, e de pessoas que me foram muito queridas.


José Cunha


___________________________________________________

Peço desculpa por o contactar por este meio, mas hoje, ao consultar o blog do Zé Cunha "Carioca da Vila" encontrei o seu blog dedicado ao seu pai e não pude deixar de lhe escrever. Vou identificar-me. Chamo-me Maria Síria de Macedo Vieira dos Santos, tenho 57 anos nasci e vivo em Vila do Conde. Sou filha de um também grande amigo do seu pai, O Manuel Eduardo Santos que trabalhou na Câmara de Vila do Conde durante 40 anos. Tenho boas recordações do seu Pai, pois também com o meu, ia várias vezes a casa do seu pai, que saudades. Em 1969 fui trabalhar para a Câmara, também, e convivi de perto com o seu Pai e com a sua Irmã Isabel. Ainda tenho guardada uma prenda de casamento que o seu pai me deu em 1973! Sim o seu pai era um homem bom, amigo do seu amigo, que hoje em dia quase não há.
Envio-lhe uma das últimas fotos do meu Pai, falecido em Dez/01. Bem haja por ter conseguido construir este blog de homenagem a este "Senhor" de Vila do Conde.
Delicio-me com as fotos que lá estão!

Maria Síria Santos


___________________________________________________

Linda Homenagem,
Esta óptimo o teu blog e a homenagem que fazes ao teu Velhote não podia estar melhor, assim como a chamada de atenção a esses …... da Câmara de Vila do Conde que até hoje nada fizeram para homenagear o grande Vilacondense que foi o teu Pai...
Um abraço...


Ali David


___________________________________________________

Olá só mesmo tu para criares um blog, nem imaginas como tem sido especial, todos os dias estou lá, e faz me lembrar também sonhar com o meu Avo... Espero que tudo te corra bem, como tem estado a tia Manela? está tudo bem?


João Pinto


___________________________________________________

Também conheço uma historia de 4 indivíduos que o tentaram assaltar a coça que lhes deu foi tão grande que quando entraram no hospital o medico pensou que tinham sido atropelados teve a justiça de lhes esmurrar e a honra de os reparar levando-os ao hospital no seu Toyota. Tenho muitas saudades deste que foi um grande homem.


Justino Dias


___________________________________________________

Gostei muito de consultar o blog que me aconselhaste. Tens toda a razão em teres orgulho de seres filho de um Grande HOMEM, mas tu também és GRANDE. E Homens como teu pai já não há muitos. É um bom exemplo para ti, e foi pena deixar-nos ainda novo. Mas Deus sabe o que faz, embora nos custe aceitar e compreender. Herdaste a atitude, bravura, elegância, inteligência, entre outras qualidades dele. Parabéns.

Lucília


___________________________________________________

Eu sou muito nova, mas o meu avô fez-me chegar que este senhor Eduardo Pinto realmente tinha muito poder de decisão em Vila do Conde, isto é tinha um dom, aquele que já não existe, o poder de ajudar todos aqueles que eram necessitados. Agora percebo com este documento o que ele queria dizer...

E entendo a maneira, o carinho e o cuidado que tinha quando prenunciava o seu nome.

Anónimo


___________________________________________________

Realmente é irónico um senhor como Eduardo Pinto, ainda não ter uma avenida ou outro tipo de homenagem sendo ele o pai de tanto em Vila do Conde.

Anónimo


___________________________________________________

Olá José Rui,

Estive a ver o seu blogue, e fiquei muito contente ao ver umas fotografias e uma caricatura onde aparece o meu avô Zacarias Pachancho, pessoa a quem eu era muito ligada.
Nas fotos da 1ª reunião dos agentes, para além do meu avô aparece o meu pai e tio.
Quanto à caricatura, o meu pai conhecia-a, e talvez o possa ajudar a identificar as pessoas que lá estão, eram pessoas que também ele conheceu.

Cumprimentos,


Paula Vale Peixoto




domingo, 24 de janeiro de 2010

Casa de Eduardo Pinto

.


Arquitectura – Arte Moderna

O edifício da agência do Banco Borges & Irmão, de Vila do Conde, cujo projecto de arquitectura é da autoria de Álvaro Siza Vieira, situa-se no centro histórico de Vila do Conde “antiga casa de Eduardo Pereira Pinto", denominado por edifícios monumentais de granito e reboco.

Embora de volume semelhante às condições de área, delas se destaca pelo contraste entre superfícies envidraçadas e de perde cega, numa relação de diálogo e de distanciamento relativamente ao tecido arquitectónico de onde emerge.


Agência do Banco Borges & Irmão. Vila do Conde, Portugal
.


.